Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Diagrama para a resolução de problemas

Rita (porque minimalistas há muitas), 29.09.18

Já disse algures numa publicação que fico sempre com o melhor das pessoas que numa ou noutra fase passam por mim e interagem comigo. Ontem foi um daqueles dias que tive de me despedir de alguém - porque se deslocou no mapa mundo e não por qualquer outro motivo, atenção - e que em pouco tempo deixou a sua marca e nem se apercebeu.  

 

Aqui vos deixo o que me deixaram - o diagrama que resolve todos os nossos problemas:

2018-09-28 17.23.14.jpg

É tão simples assim. Só não concordo com o "Podes culpar outra pessoa" - de resto está tudo ok. Cada um que tire as suas próprias conclusões. Façam disto o vosso wallpaper ou ponham na porta do frigorífico e quando se sentirem assolados por um problema de qualquer natureza leiam o diagrama com atenção e pensem numa solução. Levem o tempo que quiserem, não há pressa. Não pode haver pressa. 

 

A vida é muito curta para andarmos nesta azáfama diária e constante. Esquecemo-nos das nossas prioridades. Preocupamo-nos muito com o que se passa na vida dos outros e preocupamo-nos em seguir as suas vidas como se isso nos completasse. Como se fôssemos buscar as respostas da existência do universo ao vizinho do lado e como se nos sentíssemos melhor ao absorver o máximo de informação alheia para não pensarmos na nossa própria existência.

 

Todos gostam que de uma maneira ou de outra as pessoas se importem connosco e nos sigam e acompanhem como se fôssemos muito interessantes - é uma das nossas naturezas. Mas há que ter um limite. Ninguém é mais importante ou interesante que nós. E cada um sabe que a sua vida ou a dos seus mais próximos é muito mais importante do que qualquer outra. Porque não começar a vivê-la?

 

Cada um leva com o seu corpo, feitio, hábitos e defeitos todos os santos dias. Todos os dias temos de lidar connosco, e todos os dias surgem oportunidades para nos melhorarmos um pouquinho de cada vez. São 365 dias de oportunidades por ano. São 18250 dias de oportunidades em 50 anos. Que idade tens? Quantos dias já desperdiçaste? E se te dissesse que nada acontece por acaso e que todos e tudo o que interage connosco de alguma forma acaba influenciado por nós?

 

Porque não, começar a preocuparmo-nos com o que realmente importa? Porque não, lutar pelo que queremos? Porque não, chegar aos 80 e não nos arrependermos do que aconteceu para trás? Do que não aconteceu para trás? Vamos lá viver a nossa vida da forma que merecemos e não da que os outros merecem. Pára com essa ânsia e vontade de saber tudo o que se passa no mundo e à tua volta. Já chega. Importa-te contigo, vive por ti que ninguém te faz feliz se não te fizeres feliz primeiro.

 

E a carapuça, serviu?

Desafio 30 dias minimalista #21 a #25

Rita (porque minimalistas há muitas), 27.09.18

Bom dia malta! 

2018-08-24 14.44.19.jpg

 

 

 

Ora então vamos lá à primeira metade do último terço do desafio. 

 

#21 - Escreva por 20 minutos 

 

É relativamente fácil. Escrevi por 20 minutos ao contar os 5 dias anteriores do desafio. Mas acontece que gostava de escrever mais... Tenho sentido alguma falta em colocar todos os pensamentos e emoções no papel. O Milagre da Manhã (resumo aqui) é muito bom para isto. Experimentei há uns dias mas ainda não cheguei a fazer uma semana completa. As minhas noites têm-se alargado um pouco mais e não tenho tempo para seguir os fundamentos do livro todos os dias de manhã. Vou ter que definitivamente arranjar tempo para este ritual porque resulta mesmo, e é muito muito bom. 

 

#22 - Crie uma rotina relaxante para a hora de dormir 

 

Este é provavelmente o único que vou falhar no mês. Não quer dizer que antes do desafio acabar não o faça, mas por enquanto não está realizado. A minha rotina ideal relaxante para dormir trata-se de um chá quente, umas boas páginas de livro - sem TV nem internet. Neste momento, tenho o hábito de ver vídeos inspiracionais no youtube e vejo-me à rasca para adormecer. 

 

#23 - Saia sem maquilhagem 

 

Oh. Easy. Nunca uso maquilhagem. Garantidamente há mais de meio ano. Antes disso, usava muito esporadicamente quando não gostava do que via de manhã em frente ao espelho. Mas agora já não acontece. Caramba, se a Alicia Keys o faz, quem sou eu para andar para aí toda empinocada e cheia de pastas? Eu dou por mim a usar o perfume que tenho porque acaba por perder as propriedades do cheiro!  É o cabo dos trabalhos!

 

#24 - Pratique gratidão 

 

Conheci a Monja Coen. Obrigada Purpurina, pela tua rúbrica nova que já anda a mudar pessoas. Eu incluo-me no grupo! A monja Coen é muito boa oradora, adoro ouvi-la. A gratidão ficou completamente reformulada na minha cabeça assim que comecei a ver os vídeos dela. Tem palestras inteiras online! - E não é que estou a começar a interessar-me pelo budismo?

 

#25 - Não faça planos para este dia 

O dia foi muito bom. Celebrei o aniversário de um amigo e o meu. Um antes da meia noite e o outro depois. Fomos beber uns copos a meio da semana e soube tão bem. É bom fugir às rotinas, não é? 

 

O que já aprendi com este desafio?

 

Que nesta fase da minha vida é muito mais fácil escrever do que na primária, quando tínhamos de escrever as redações e levávamos TPC enormes para casa.   Que cada um tem a sua estratégia para este desafio e o adapta às suas necessidades e formas de ver a vida. Não há ninguém igual. Nada é fixo e tudo se transforma. Nunca passamos pela mesma coisa mais do que uma vez. Temos de aproveitar o agora! Apreciar o que realmente importa.  Que não é importante termos cada segundo das nossas vidas planeado. Podemos ir com a maré ou contra ela, de acordo com os nossos ideais e princípios.  Aprendi com este desafio, que é preciso relaxar. Não pensar demasiado em tudo!

 

 

 

 

Desafio 30 dias minimalista #16 a #20

Rita (porque minimalistas há muitas), 21.09.18

 Bom dia malta! 

 

2018-09-05 21.49.09.jpg

Já só faltam 10 dias! Que bem que me tem sabido este desafio. Obrigada pela oportunidade, Just Smile. Até aderiu muita gente! Estou impressionada e cada vez mais contente com a nossa sociedade e blogosfera consciente. Temos de fazer isto mais vezes. 

 

 

Ora cá vai a minha lista atualizada:

 

#16 - Não compre nada por 24 horas 

Este é talvez o artigo do desafio que gosto mais. Penso que ainda não escrevi sobre isto, mas uso o Boonzi diariamente. O Boonzi é um programa PORTUGUÊS com o qual posso controlar as minhas despesas e receitas (atenção que ninguém me pagou nem ofereceu nada para estar a escrever isto, é mesmo a minha opinião genuina). Dá para definir um orçamento mensal e futuro, para rastrear os gastos, analizar relatórios e gráficos, controlar o que gasto através de categorias definidas por mim, saber a que entidades dou o meu dinheiro e definir agendamentos para pagamentos.

 

É muito muito bom. Adoro e recomendo - não estou nada arrependida de o ter comprado. Dêem uma vista de olhos. A sério, vale a pena. Tem até um período experimental e tudo.

 

Ao consultar o meu Boonzi, vejo que desde o dia 1 de Setembro que passei 3 dias sem gastar dinheiro. Em Agosto, 6 dias. Em Julho - 4 dias. Isto inclui todos os pagamentos que tenho de fazer - contas e empréstimo da casa, débitos diretos, obrigações, restauração, cafetaria, mantimentos, seguros, condomínio e poupança - Sim, tenho um orçamento mensal para pôr algum de lado. E digo-vos que ainda bem que aderi ao desafio. Pensava que passava mais tempo do meu mês sem gastar dinheiro. Houve dias em que apenas gastei em restauração ou cafetaria - Podia ter perfeitamente passado o dia sem gastar nenhum. Adiante. 

 

#17 - Realize uma tarefa de cada vez 

Uma tarefa de cada vez? Ok. Não quer dizer que não pense nas 53 que tenho para fazer a seguir. Mas normalmente, faço uma de cada vez. 

 

#18 - Limpar os contactos, "Unfollow" e "Unfriend" 

Ai, que gozo que isto me deu!  Tanto no facebook como no instagram. Andava a seguir mais de 700 pessoas nas duas plataformas. Isto é surpreendente. Há cerca de um mês fiz uma limpeza e diminuí os contactos/amizades em 80%. Defini o meu objetivo. Se tivesse a certeza absoluta de que não iria falar com essa pessoa nos próximos 3 meses - remoção certa. Esta semana voltei a remover uns quantos, e digo-vos - Tenho menos de 100 contactos no facebook e menos de 100 no instagram. Não tenho menos de 100 coisas no mundo físico como o Colin Wright (que só em peças de roupa tenho 206), mas já é um começo, certo? Um passo de cada vez. - Quanto aos contactos do telemóvel, reduzi em 30%. 

 

#19 -  Saia para uma caminhada e exercite a sua consciência 

Ainda não houve uma semana em que fizesse caminhadas todos os dias. Sim, faço algumas - mas não tantas como defini na minha cabeça. 

 

#20 -  Não assista TV por um dia (leia, ao invés disso) 

Feito! Desde que me dediquei mais à leitura e escrita que não vejo tanta televisão. Ontem foi um desses dias. 

 

O que já aprendi com este desafio?

 

É realmente uma aprendizagem constante. Mesmo tendo abraçado o minimalismo há cerca de um ano e de estar constantemente em sintonia com o estilo de vida e mindset, este desafio fez-me ver que é mais fácil desapegar-me das coisas do que aquilo que realmente achava. O processo fica até muito divertido como vêem pelos emoticons e smiles que deixo por todo o lado . Faltam 10 dias, mas acho que depois deste, vou à procura de mais. 

 

Desafio para setembro.jpg

 

 

As minhas 206 peças de roupa e calçado.

Rita (porque minimalistas há muitas), 20.09.18

Há sempre aqueles dias em que pensamos que não temos roupa para vestir. Quem não se identifica com isto? 

 

Um belo dia de adolescência fui ter com a minha mãe e disse-lhe que não tinha roupa para vestir. "Como? Não pode. Vem comigo." - respondeu ela. Pois lá fomos. E afinal tinha. Sabem como é, tudo revoltado e esquecido no fundo do armário. 

 

Nos últimos dias tenho tido a mesma sensação e decidi seguir o meu instinto.

É verdade. Fiz um inventário da minha roupa.

 

Já tinha "destralhado" o armário ao mudar de casa há cerca de meio ano. Se agora tenho 200 peças, eu digo-vos - não as contei, mas tinha garantidamente umas 300 ou 400.

 

Então, ao ter a minha sensação de armário vazio, fui contar a minha roupa e calçado hoje ao fim da tarde. Mal pude esperar para vos contar a minha experiência! Coloquei tudo o que pude em cima da cama. Depois fui buscar a roupa de inverno e calçado - já não coube, obviamente. 

IMG_20180920_185042.jpg

IMG_20180920_185925.jpg

 

Digo-vos que fiquei assustada! Assim de repente pareceu-me muita coisa e deu muito trabalho a contar . Mas pensando bem, até nem é. Apenas achei o inventário mais abusivo na quantidade de calçado e roupa interior. O processo foi até divertido e libertador. Ao fazê-lo, reduzi de 218 para 206 peças - uma diminuição de cerca de 6%. Sim, eu faço contas

 

Eu pensava que tinha pouca coisa, mas este número assustou-me um bocadinho no início. Gostava de um dia poder abraçar o desafio do Projeto 333 da Courtney Carver - que passa por usar 33 peças ou menos (incluindo calçado e acessórios - que eu não contabilizei) durante 3 meses. Deixo-vos aqui um vídeo em inglês e outro em português. Foram os primeiros que encontrei. 33 peças, minha gente! É muito pouco. E o mais engraçado é que a Courtney testou o desafio em ambiente profissional e social - ninguém deu conta. Eu não dou conta das coisas que as pessoas usam. E vocês?

 

A minha lista - Não me levem a mal, sou uma mulher de contas :

Casacos - 6 (incluindo 4 de meia estação, 1 de inverno e outro para a neve);

Blusas, camisas e t-shirts - 31 (incluindo artigos de meia estação, tops neutros interiores e coisas que tenho arrumadas de parte - na esperança que a minha perda de peso continue e para não precisar de comprar daqui a uns meses).

Camisolas de inverno - 7

Calças - 13 (6 que uso normalmente - e que já mal me servem (pela positiva), 5 que tenho de arranjar (como fiz neste post) e 2 à espera da perda de peso - se calhar já me servem, hei-de experimentar)

Roupa de andar por casa e caminhadas - 14 (7 calças/leggings e 7 t-shirts/camisolas).

Pijamas - 8 (2 de verão e 6 de inverno - Whaaat? Why? - Don't know)

Roupa interior - 101 (101!  desde meias de inverno, de vidro e de sapatilha - sim, chamo-lhes meias de sapatilha - a cuecas, soutiens normais e desportivos - é completamente abusivo. Por outro lado vou andar 2 anos sem comprar roupa interior. Ou mais. Não me importo muito. Não ocupa grande espaço )

Calçado - 17 pares (6 p. de sapatilhas - adoro e ando quase sempre com elas; sapatos finos/de gala, sandálias, chinelos, sabrinas e botas de inverno) - Nota: os que vêem na foto são mais, porque me livrei de 6 pares que já não usava - a meu ver, o nº 17 é um bocadinho excessivo ainda. Quero muito reduzir para a ordem dos 5 - 10, mas só quando se estragarem.)

Específicos/Sazonais - 9 (desde o bikini, ao meu fato e vestidos de cerimónia (são só 3), robe de inverno e gorros - cachecóis e tapa-orelhas).

 

E afinal? Tenho ou não tenho roupa? Claro que tenho! Não vou comprar tão cedo e muito menos agora que vamos mudar de estação. Desafio-vos a fazerem o inventário da vossa roupa. Não tenham medo. Vão encontrar coisas que provavelmente não vêem há anos e que até achavam que nem tinham. O que acham, é muito?

 

 

Cinco livros em mês e meio. Não foi o fim do mundo nem ando a tramar nenhuma.

Rita (porque minimalistas há muitas), 19.09.18

E sabendo que na década anterior tinha lido ZERO - é uma ótima melhoria, nao acham? É uma questão de encontrarmos o tema que nos move. No meu caso, os temas foram divergindo.

 

Comecei pelo Hunger Games, vol. 1 que andava aqui por casa há imenso tempo e ainda não lhe tinha pegado. - Achei muito semelhante ao filme, pelo que não tirei grandes valias, confesso. Está lido, e já o pus a circular. 

 

Depois vieram as finanças pessoais - Obrigada Pedro Andersson, que despertaste todo o meu interesse na temática com a tua rúbrica "Contas-Poupança" - Li os teus dois livros (ou eBooks) em 3 dias e adorei. Obrigada, a leitura é muito muito fácil e super recomendo. Não é que ao pesquisar um pouco mais sobre ti descubro que és da minha cidade? Ia jurar que hoje de manhã passei por ti... Com um veículo da SIC, mas estamos a meio da semana e hoje sai um novo episódio da rúbrica. Não, não devias ser tu. 

 

Li o Milagre da Manhã, de Hal Elrod - o tal que insisto para a 3ª Face ler e perceber do que falo. Desculpa o destaque, mais uma vez. Só para te provocar um pouquinho mais.  O Milagre da Manhã é isso mesmo. É levantarmo-nos cedo (muito cedo) e ansiar por isso. É um ritual que nos impulsiona para o resto do dia - e resulta mesmo. Não, não consegui fazer todos os dias, mas os que fiz, resultaram. Por agora vou tentar regular as minhas horas de sono e apesar de não seguir o ritual à risca - já não peço ao meu telemóvel para suspender o alarme por 10 minutos. Um passo de cada vez! 

 

Por último... Não me sinto muito confortável em escrever o título, mas podem consultá-lo aqui (se o link deixar de funcionar, digam, por favor). Na verdade o título em inglês não é tão desconfortante pois não? Em português do Brasil é pior. . O autoempoderamento puro e duro. Sentimo-nos como se fôssemos os melhores do mundo ao acabar de ler. É muito, muito bom. 

 

Foi mês e meio, mas fazendo as contas aos dias durante os quais li mesmo, foram 11dias. É um ano de records! 😊

 

Resultado de imagem para books

 

As minhas próximas apostas serão os livros dos "The Minimalists" - lista aqui e o Zero Waste da Bea Johnson. Recomendam mais algum?

Desafio 30 dias minimalista #10 a #15

Rita (porque minimalistas há muitas), 18.09.18

 Bom dia malta! 

2018-09-14 19.48.13-1.jpg

 

Chegámos a meio do desafio! Hands up para quem chegou até aqui! 

 

Tenho de vos confessar uma coisa... Não tenho seguido os números do desafio pelos dias do mês. Tenho consultado a lista dos afazeres e vejo mais ou menos o que tenho de fazer pela semana. Não é rigoroso, mas o que conta é a intenção, certo? Vamos lá então.

 

#10 - Nada de emails ou redes sociais até à hora do almoço 

Quanto às redes sociais, esta é fácil. Este meu novo eu nunca as consulta de manhã. Quanto ao email, depende. O email profissional obviamente que consulto assim que chego ao escritório. O pessoal ficou para canto esta semana. Não foi mau. De certo modo, foi muito libertador. De qualquer maneira, recebo mais spam e publicidade do que outra coisa. Quem se identifica?

 

#11 - Avalie os seus compromissos 

Avalio os meus compromissos sempre que posso. Compromissos para com amigos ou familiares, tento marcar sempre que possível - nem que seja um cafezinho. Mas todas as semanas gosto de estar com eles. Compromissos a nível de desenvolvimento pessoal são já mais complicados de manter, mas prometo-vos que estou a tentar ser o mais sistemática possível. 

 

#12 - Defina as suas metas para este ano 

Estamos a três meses e meio do fim do ano e digo-vos que as minhas metas para 2018 mudaram MUITO até aqui. Muito mesmo. Tanto, que já não me lembro muito bem do que me comprometi a fazer a 31 de Dezembro. Gosto sempre de reformular as minhas metas à medida que surgem ou que vão (risos ). Quem me compreende e me conhece, sabe do que falo. É tão fácil deixar as metas ir embora, certo? Sem nunca serem alcançadas. Este ano foi um ano de mudanças radicais. O minimalismo já vem do ano passado, mas a maior parte do resto, não. O blog ensinou-me muita coisa e cresci muito desde que o criei. A consciência mais ecológica e sustentável, o vegetarianismo e a melhoria constante e diária do estilo de vida fazem parte do meu dia a dia, agora. Até aqui andei a brincar às bonecas. - Acreditam que nos últimos 15 dias já li 3 livros? Na década anterior li ZERO. Portanto, as minhas metas não só estão definidas como foram alcançadas e sinto-me muito muito bem. 

 

#13 - Limpe o seu guarda-roupa 

O meu guarda-roupa tem estado organizadinho desde que chegou o minimalismo. Quanto à pilha para passar a ferro, já estamos a falar de outra coisa. A pilha não faz parte do guarda-roupa, certo?  - Vá, um passo de cada vez. 

 

#14 - Comece a aprender algo novo 

Como disse lá atrás, tenho andado a ler. Muito. Tanto, que os meus olhos andam a dizer-me para abrandar um bocadito. E com as leituras vêm aprendizagens. Há uma coisa que tenho vindo a tentar fazer, mas ainda é cedo para vos falar nisto. Conhecem o Milagre da Manhã de Hal Elrod? Pois. Deixem-me estabelecer e incorporar o método e logo vos conto como correu. - A 3ª Face, se quiseres faculto-te o livro. É muito bom! Nem que seja para compreenderes um pouco mais do que se trata e os motivos que se escondem por trás do levantar às 5 da matina. É uma boa leitura. 

 

#15 - Examine os seus hábitos diários 

Os meus hábitos diários... Ai, os meus hábitos diários que nunca chegam a ser hábitos. Estou sempre a mudá-los. Ora, eu tento fazer exercício físico todos os dias. Eu tento o milagre da manhã. Eu tento a leitura. Eu tento beber 2 litros de água. Por outro lado tento acabar com maus hábitos. Estes sim gostam de ficar. Mas se os outros conseguem, eu também consigo. E estou a trabalhar nisso! Não digam que não! 

 

O que já aprendi com este desafio?

Muita coisa.

 

Aprendi que na verdade, já faço a maioria das coisas sem me aperceber de que pertencem à lista. Desde o dia em que vi o documentário do Joshua e do Ryan (The Minimalists) que tenho sido exponencialmente feliz e que me tenho apercebido que criar este blog, foi a melhor coisa que fiz. Não, não aprendi isto com o desafio, mas o desafio tem aberto os olhos e horizontes para as profundezas do meu ser humano e para o que realmente importa neste mundo. Está bem, que todos os dias lemos e ouvimos frases inspiracionais mas sempre achei que não tinha tempo para pensar muito sobre elas e que quem o fazia, era porque não tinha mais nada para fazer. Hoje já não.

 

Hoje acredito na meditação. Acredito nos chacras (apesar de não saber muito sobre eles - uma área a explorar). Acredito no Feng Shui. Acredito no amor. Acredito no destino e acredito essencialmente que se deixarmos aproximar tudo o que é bom e afastarmos o que é mau, o instant karma resolve tudo. Hoje sou realmente feliz.

 

 

E sim, hoje estou lamechas. É só para quem merece.   

 

minimalismos da semana #1

Rita (porque minimalistas há muitas), 12.09.18

"Por um lado, todos queremos ser felizes. Por outro lado, todos sabemos as coisas que nos fazem felizes. Mas não as fazemos. Porquê? Por estarmos demasiado ocupados. Demasiado ocupados a fazer o quê? Demasiado ocupados a tentar ser felizes. "

 

Mathew Kelly, em "The Rythm of Life"

 

Bela introdução à nova rúbrica, não acham?

Lá estarei, com todas as minhas forças e sentidos.

Rita (porque minimalistas há muitas), 12.09.18

Carolina.

No 4 de Outubro vou finalmente poder ouvir-te, Carolina. 

Sinto que te conheci A Vida Toda. 

Sinto que fazes parte de mim. Parte do povo. Parte da resistência!

Nunca fui de grandes amigas, mas na verdade, és uma delas. Não digas que não!

És tão ou mais do que qualquer uma. És tão tua. Tão verdadeira. 

 

Acompanho-te desde os primeiros passos, mas quando chegou A Vida Toda, mudaste-me. De tal forma que não consigo ouvir a música sem choramingar. Quando estou sozinha, claro. Acompanhada sou forte. É de tal sentimento que tudo em mim transborda não sei muito bem de quê. É tão forte que quando pensei em escrever este texto teve de ser logo. Agora. Às duas e meia da madrugada. 

 

Ai, vou finalmente poder ouvir-te. Se for como o concerto do Rui Veloso, não sei se saio de lá inteira.

 

Eu estava preparada para escrever um belo de um testamento à moda antiga, mas está tudo dito. 

 

Obrigada por fazeres do meu mundo um sítio bonito para se viver. 

 

 

Pág. 1/2