Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

30.03.18

A propósito do lixo que vemos pelo chão das nossas terras.

Rita (porque minimalistas há muitas)

Bom dia gente gira :)

Este post fala de uma caminhada que já fiz há algum tempo e que hoje decidi publicar aqui no blog (já o tinha feito antes, no livro das caras em inglês). Ontem também fui dar um passeio com o meu namorido (namorado/marido - qualquer coisa pelo meio) e comentei com ele que não conseguimos andar meio metro sem ver uma peça de plástico no chão. É um absurdo! Portanto cá vai:

--------------------------

Não me levem a mal. Eu adoro a minha cidade. Nascida e criada na Covilhã, para mim somos uma grande família e digo-o com orgulho. Hoje de manhã peguei nas pernas e fui fazer uma caminhada. Preocupada com o planeta, decidi levar um saco para apanhar algum lixo pelo caminho. Pensei: "A cidade é limpinha, não devo encher o saco até ao fim". Enganei-me. Pelo caminho apanhei mais dois sacos de plástico e enchi-os também. Sabem quantos descendentes deixamos no planeta ao longo de 2000 anos? É o tempo que alguns items de plástico demoram a desaparecer. Temos um óptimo serviço de limpeza municipal, não é isso que está em causa, mas infelizmente não chega a todo o lado. Ao longo de 1 km passei por mais de 15 pessoas a pé. Se todas apanhassem um pouquinho de cada vez, não estávamos neste estado (na volta ainda sujaram mais). Maltinha, temos vindo a ser cada vez mais saudáveis e estamos sempre a fazer caminhadas. Porque não trazer um saco de casa e limpar pelo caminho? O que mais me surpreendeu foi o número de raspadinhas espalhadas pelo chão. É dinheiro! Guardem-no! Este Natal ofereci raspadinhas a toda a gente, e em 42€ saíram 13€. Uma lição que aprendi para a vida. Sabem qual é o meu arrependimento? Não ter começado mais cedo.