Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

08.10.18

Desafio da Escrita #5 - O Alho (e as minhas confissões)

Rita (porque minimalistas há muitas)

Lembram-se quando falei na dificuldade de escrever o desafio do dia 3?

 

Enganei-me redondamente. Estou aqui há meia hora sem saber o que escrever, de maneira que vou despejar o que realmente acho que devo despejar. 

 

Eu juro que investiguei. Que procurei com afinco e que quase escrevi sobre os benefícios, malefícios e produtos derivados. Ele há alho em pó, esmagado, picado, granulado, aglomerado. Alho em pó para decorar, para nutracêuticos (?!) ou só e simplemente em pó. Existe até o sumo concentrado de alho, que deve ser tão saboroso como um prego enferrujado mergulhado em óleo de fígado de bacalhau e água de charco. Estou só a dizer.

 

A verdade é que nunca fui à bola com o alho. Na verdade, assisto de vez em quando a um jogo ou outro com ele mas quanto mais longe, melhor. Não é assim tão mau, até porque o uso em pó (not so much zero waste, I know - but hell, don't judge me) nos legumes salteados e numa data de outras coisas mas nunca fui fã. Nem cru, nem cozinhado. 

 

Não devo vir para aqui com factos científicos nem ecológicos acerca deste tão magnífico superalimento, porque pronto. Já viram que não dá. 

 

Um conselho: Evitem embalagens pessoal. Não há necessidade. Há trituradores e recipientes em casa para se congelar. Estou só a dizer.