Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

29.09.18

Diagrama para a resolução de problemas

Rita (porque minimalistas há muitas)

Já disse algures numa publicação que fico sempre com o melhor das pessoas que numa ou noutra fase passam por mim e interagem comigo. Ontem foi um daqueles dias que tive de me despedir de alguém - porque se deslocou no mapa mundo e não por qualquer outro motivo, atenção - e que em pouco tempo deixou a sua marca e nem se apercebeu.  

 

Aqui vos deixo o que me deixaram - o diagrama que resolve todos os nossos problemas:

2018-09-28 17.23.14.jpg

É tão simples assim. Só não concordo com o "Podes culpar outra pessoa" - de resto está tudo ok. Cada um que tire as suas próprias conclusões. Façam disto o vosso wallpaper ou ponham na porta do frigorífico e quando se sentirem assolados por um problema de qualquer natureza leiam o diagrama com atenção e pensem numa solução. Levem o tempo que quiserem, não há pressa. Não pode haver pressa. 

 

A vida é muito curta para andarmos nesta azáfama diária e constante. Esquecemo-nos das nossas prioridades. Preocupamo-nos muito com o que se passa na vida dos outros e preocupamo-nos em seguir as suas vidas como se isso nos completasse. Como se fôssemos buscar as respostas da existência do universo ao vizinho do lado e como se nos sentíssemos melhor ao absorver o máximo de informação alheia para não pensarmos na nossa própria existência.

 

Todos gostam que de uma maneira ou de outra as pessoas se importem connosco e nos sigam e acompanhem como se fôssemos muito interessantes - é uma das nossas naturezas. Mas há que ter um limite. Ninguém é mais importante ou interesante que nós. E cada um sabe que a sua vida ou a dos seus mais próximos é muito mais importante do que qualquer outra. Porque não começar a vivê-la?

 

Cada um leva com o seu corpo, feitio, hábitos e defeitos todos os santos dias. Todos os dias temos de lidar connosco, e todos os dias surgem oportunidades para nos melhorarmos um pouquinho de cada vez. São 365 dias de oportunidades por ano. São 18250 dias de oportunidades em 50 anos. Que idade tens? Quantos dias já desperdiçaste? E se te dissesse que nada acontece por acaso e que todos e tudo o que interage connosco de alguma forma acaba influenciado por nós?

 

Porque não, começar a preocuparmo-nos com o que realmente importa? Porque não, lutar pelo que queremos? Porque não, chegar aos 80 e não nos arrependermos do que aconteceu para trás? Do que não aconteceu para trás? Vamos lá viver a nossa vida da forma que merecemos e não da que os outros merecem. Pára com essa ânsia e vontade de saber tudo o que se passa no mundo e à tua volta. Já chega. Importa-te contigo, vive por ti que ninguém te faz feliz se não te fizeres feliz primeiro.

 

E a carapuça, serviu?

2 comentários

Comentar post