Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

22.01.19

O dia em que saí do facebook

Rita (porque minimalistas há muitas)

Bom dia malta! Espero que esteja tudo bem convosco. Comigo, com certeza que está. 

 

 

O título não engana ninguém. A novidade tem pouco tempo (menos de 24 horas) mas a verdade é que já me fez tão bem! Há uns tempos tinha feito uma espécie de "reabilitação" e saí durante umas semanas, mas senti que não tinha sido o suficiente. Não era livre, estava sempre a pensar no que é que se estaria a passar por ali. Além disso, as notificações chateavam-me o juízo, sabem como é, certo? Receber notificações de páginas que nem interessam ao menino jesus?

 

Resultado de imagem para social network

 

Pois bem, o facebook dá-nos duas opções para sair: desativar ou eliminar a conta. Ao desativar a conta, as pessoas não têm acesso à nossa cronologia ou pesquisar por nós, mas podemos sempre voltar a reativar quando bem entendermos.

 

Agora, a eliminação... É outra coisa. A eliminação de conta não nos permite recuperar qualquer dado, e por isso mesmo, eles acham que devem esperar um bocadinho até o efeito ser definitivo. Pelo que percebi, as pessoas com quem conversamos via messenger ficam com acesso ao histórico de mensagens e a plataforma acha-se no direito de manter alguns materiais na sua base de dados, como por exemplo os registos. Mas para quem despejou tanta coisa na rede, não me chateia muito, you know what I mean Foi o que eu fiz, eliminei a conta (até-porque-a-desativação-estava-a-dar-demasiados-problemas-e-não-estava-a-perceber-patavina-daquilo-e-nem-pensei-duas-vezes). Já estava na minha hora de me afastar.

 

Vocês lembram-se do motivo pelo qual se juntaram a esta rede?

 

Foi para estarem mais próximos dos amigos e para poderem interagir mais com eles? Foi para encontrarem família afastada? Foi para marcarem encontros com mais regularidade e poderem conviver com pessoas a sério?

 

Ou foi para estarem em cima de todo e qualquer acontecimento e para jogar farmville? Para não perderem um único evento na vossa cidade ou para estarem a par de tudo e de olho no que o vosso círculo anda a aprontar?

 

Há motivos e motivos. O meu foi porque alguém me pediu para jogar a "quinta" - tinha 16 anos. O farmville foi um dos grandes impulsionadores do facebook.

 

O que querem que diga? Gente esperta!

 

Depois disso fui ficando. Fui ficando para assistir às vidas "interessantíssimas" de toda a gente que passava por ali. Fui ficando para estar a par dos acontecimentos e para acompanhar as vidas de quem já não falava pessoalmente há mais de dez anos - e que continuo sem falar.

 

É óbvio que nem tudo é mau. Pertencia a grupos ligados ao desperdício zero e ao vegetarianismo, discussões de livros e páginas de costura creativa. Mas de alguma forma, essas acabavam por ficar sempre para trás, no meio de tanta publicidade e discussão irrelevante. Há outras formas de nos matermos atualizados.  O sapo blogs, por exemplo, é uma ótima ferramenta, não acham? Para algumas pessoas e empresas, o facebook é uma forma de divulgação dos seus produtos e não tenho nada contra. Acho muito bem! Continua a ser uma plataforma bem poderosa para qualquer tipo de divulgação. 

 

Para mim, quem sabe? O próximo deve ser o instagram. 

 

 Até breve! 

 

[UPDATE] - Obrigada pelo destaque, sapo! É bom saber que de alguma forma sou reconhecida pelas "teclas" que deixo por aqui. 

destaque sapo blogs.JPG

 

1.PNG

 

2 comentários

  • Eu até o podia fazer, e eu juro que faço o meu melhor, mas às vezes escapam-me algumas coisas. Se começo a tomar muita atenção à ortografia e se esta passa a ser uma prioridade, alguma coisa há-de falhar. Obrigada pela atenção, agradeço muito. Mas já está escrito, não vou editar.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.