Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Más notícias da semana #1

Rita (porque minimalistas há muitas), 22.08.19

Olá!

environment-environmental-damage-ocean-pollution-8

A ideia de lançar a nova rúbrica de "Boas notícias da semana" até nem foi má... Pior foi descobrir que no meio de tanta coisa boa, as más notícias prevalecem, infelizmente. 

Esta semana em:

Animais:

- Milhões de abelhas estão a morrer no Brasil e isso é um aviso

Bacalhau do Mar do Norte está em risco e pode deixar de chegar às mesas

- Indonésia. Excesso de turistas coloca em risco dragão de Komodo

- O dugongo mais famoso da Tailândia morreu por comer plástico

- Rola-brava já quase não se vê, mas caça abre neste domingo

- Sabugal: video mostra touro a ser morto na arena

- Portugal. Abandonados por ano dez mil animais

- Estados Unidos vão deixar mais desprotegidos animais ameaçados

- Aves Marinhas Que Comem Plástico – e Sobrevivem – Têm Graves Problemas de Saúde

- Matança de abelhas no Brasil alerta para risco dos agrotóxicos

 

Ambiente:

- Aplicação tem mais de 23 mil registos de lixo marinho em seis meses

- Presidente brasileiro quer liberalizar mineração em terras indígenas no Brasil

- Poluição pode ser tão grave para pulmões como um maço de tabaco por dia, diz estudo

Praia de Faro interdita a banhos por elevada concentração da bactéria E.Coli

- Amazónia é o ecossistema mais afetado pelos incêndios no Brasil

- Venda da madeira do Pinhal de Leiria já rendeu 13,6 milhões de euros

- Encontradas partículas de microplásticos pela primeira vez no Ártico

- Isabel Tavares: "Temos menos água que barriga, temos que a poupar"

- "Em 30 anos, grandes áreas do Alentejo já não terão condições para vinho"

- Islândia. Monumento em memória do primeiro glaciar morto

- Chove plástico nos Estados Unidos. Pesquisador deteta microplásticos na precipitação

- Está a chover plástico nas Montanhas Rochosas

- Os microplásticos caem com a neve e a chuva. E estão por todo o lado

- Nevam micoplásticos no Artico e há praias com algas e pedras que plástico

- A Amazónia está a arder — e já se vê do espaço

- Se o mundo aquecer dois graus, os Verões serão mais extremos

- Cidade de Hasankeyf ficará submersa e com ela dez mil anos de história

- Portugal não tem limites para a poluição luminosa

- Usamos quatro vezes mais luz “por candeeiro” do que a Alemanha

- "A mãe natureza está a pedir socorro"

- Amazónia e Sibéria: pulmões do mundo em risco

- Más notícias para o clima: julho foi o mês mais quente já registrado na Terra

- O crescimento de plantas tem diminuído drasticamente no mundo por causa do ar seco

- Onda de calor está transformando o gelo da Groenlândia em lama. E isso é uma péssima notícia

- A banana está cada vez mais perto de desaparecer

Imazon: desmatamento na Amazônia aumentou 15% em 12 meses

- Degelo dos Glaciares do Alasca é 100 Vezes Mais Acentuado do que se Pensava

- A Fenda que Divide Uma Plataforma de Gelo em Dois na Antártida

- Novo Tipo de Lixo Marinho Invade a Madeira

- Estudo vê possível elo entre poluição ambiental e depressão e esquizofrenia

- Cientistas encontraram uma nova forma de plástico que se parece com pedras

- Febre do lítio pede licença para chegar a Portugal

- O Pólo Norte está a ser atingido por relâmpagos (e isso não é normal)

- Há uma cidade na Venezuela que é “invisível” - de calcário e xisto (produção de cimento)

- Explosão nuclear dispara radiação. Rússia mantém silêncio e evacua aldeia

- Há um mar de partículas de plástico entre as ilhas de Maiorca e Menorca

- Fukushima está prestes a ficar sem espaço para armazenar a sua água radioativa

- Câmara de Leiria acusada de ocultar poluição das suiniculturas na Ribeira dos Milagres

- Poluição do ar aumenta risco de depressão, diz pesquisa

- Poluição da água pode reduzir crescimento econômico em um terço, diz Banco Mundial

 

Turismo, Transportes e Entretenimento:

- Carros elétricos precisam de mais cobre que os convencionais

- Balanço global. Trotinetas elétricas alugadas poluem mais que veículos normais

Vandalismo — e não só — estraga o “selo verde” das trotinetas eléctricas

 

Outras:

- Blythe Pepino: “Não ter filhos é uma declaração política, uma questão de vida ou morte” - Para conter um “iminente desastre ecológico

 

Nota: Esta rúbrica contém notícias de cariz ambiental e social positivas que são publicadas em diversas páginas online, não sendo verificada a veracidade das mesmas. O conteúdo apresentado é da responsabilidade dos respetivos autores. 

Morte ao Plástico #2

Rita (porque minimalistas há muitas), 05.11.18

Desculpem, acho que na publicação anterior me excedi um bocadinho e deixei algumas coisas por dizer. Acontece que já usei e descartei muito plástico na minha vida, infelizmente. De qualquer forma, mais vale tarde do que nunca e aqui estou eu - a tentar fazer do planeta um sítio mais bonito e a declarar guerra a objetos inanimados. Eu espero que não tenham ficado (muito) escandalizados comigo. 

 

Ao longo das próximas semanas (e enquanto me apetecer) vou colocando aqui alguns comportamentos menos bons da minha parte e abusivos do plástico por três motivos. Primeiro, porque mais tarde quero recordar o meu processo de transformação e adesão ao zero waste. Segundo, porque vos quero mostrar que lá por ter um blog sobre minimalismo, zero waste e vegetarianismo não quer dizer que seja uma pessoa de consciência e ações perfeitas - sou precisamente o contrário, uma mulher do quotidiano normalíssima que tem muito para aprender e muita pedra para partir. Terceiro, porque quero consciencializar o povo para práticas ambientais menos invasivas e quero mostrar-vos que há muitas alternativas ao plástico e que todos os dias podemos melhorar um bocadinho este nosso consumo masoquista.

 

Se por algum motivo se lembrarem de alternativas porreiras a estes meus (ab)usos de plástico, comentem em baixo por favor.  Tenho a dizer que, por ser de uma cidadezinha do interior, não temos por cá tantas opções de venda a granel como no litoral ou nas grandes cidades. Mas mesmo assim, de uma forma ou de outra, ainda vai sendo possível. 

 

Prosseguindo com a minha missão, o plástico que direta ou indiretamente usei hoje, a 05 de Novembro de 2018, foi:

 

- Ao pequeno-almoço:

     - Optei por comer uma banana e um kiwi. Até aqui tudo bem. Não fossem os frutos secos que comi depois, serem embalados em plástico... e ainda na semana passada comprei mais frutos secos embalados. Já tinha ouvido dizer que no Intermarché têm algumas coisas avulso! Parva. Não é supermercado que frequente mas estarei mais atenta.

 

- A meio da manhã, ao lavar as mãos na empresa onde trabalho gastei papel para secar as mãos! Papel que por certo vem embalado em plástico. Tenho secado as mãos nas calças, mas às vezes esqueço-me. Bebi ainda um café, que não sendo embalado em plástico (pelo menos parece-me papel por fora - a da imagem em baixo é de plástico) - vem em saquetas tipo as do chá - que raio de material é este, sabem? É compostável?

Imagem relacionada

- Ao almoço:

       - Por ser vegetariana há coisa de 3 meses, vou fazendo uma misturada de refeições. Já tentei algumas receitas, mas são sempre estas misturas que me fazem feliz, o que é que eu hei-de fazer? Nesta refeição posso falar dos 2/3 de cima - o outro de baixo vem da minha querida sogra  Nos terços de cima, e pelo que me lembro, há cogumelos frescos que vieram embalados, vegetais embalados da secção dos congelados, o arroz é embalado e nos ovos há fatias vegetarianas da Nobre que vieram embaladas em plástico - Coisas que o meu namorido compra para mostrar o seu carinho e apoio na adesão ao vegetarianismo mas esquece-se do plástico. Felizmente os ovos são caseiros e as caixas são reutilizadas - arranjei quem os forneça. À tarde, voltei ao café

2018-11-05 13.18.55.jpg

- Ao fim da tarde em casa - a limpeza da areia dos gatos. Há-de ser com sacos de plástico da secção dos frescos. Desculpem-me, bem sei que é uma atrocidade mas o que é que eu hei-de fazer? Os biodegradáveis não se degradam em aterros, e mesmo em compostagem tenho dúvidas. A areia não é biodegradável - e mesmo que fosse, moro num apartamento e não tenho condições para biodegradar todo o material cá de casa nem consigo convencer o meu namorido a aderir a um sistema de compostagem. Não existe compostagem comunitária por estes lados. Aceitam-se sugestões! 

 

- Ao jantar:

       - Ainda não sei, mas tenho planeado comer uma sopa de feijão embalado em frasco de vidro. Não sei o que leva mais, porque foi o namorido que fez. 

 

Resumindo:

- Uma embalagem de frutos secos;

- Uma embalagem com papel para secar mãos - não é uma excêntricidade??

- 2 cafés em saquetas que nem sequer sei se são recicláveis, o mais certo é não serem;

- Uma embalagem de cogumelos;

- Uma embalagem de vegetais;

- Papel higiénico ao longo do dia, que vem embalado em plástico.

- Uma embalagem de arroz.

- Uma embalagem de fatias vegetarianas à base de clara de ovo, da Nobre;

- Um saco de plástico da secção dos frescos.

 

Agora, multipliquem isto por 2 vezes 365 dias, 12 meses por ano? Tudo em menos de 12 horas. Sim, sei que não gastei os ingredientes todos de uma vez nem os gasto especificamente todos os dias, mas há outros. E são votos de manufactura que fiz algures no mês passado e que todos os dias milhares de pessoas fazem. Não volto a referir qualquer ingrediente que gaste daqui para a frente e que pertença a estas mesmas embalagens. 

 

No entanto, e porque nem tudo é mau:

 

- Não uso maquilhagem há meio ano;

- Uso copo menstrual e escova de dentes de bambu;

- Evito o papel higiénico em casa - uso bidé ou duche;

- Embrulho presentes com jornal ou revistas antigas;

- Comecei hoje mesmo a recolher as saquetas de café no meu trabalho para usar em casa como esfoliante ou adubo em plantas - é menos conteúdo que vai parar ao aterro;

- Uso chávenas ou copos reutilizáveis em casa e no trabalho. Não consumo quando estes não existem.

 

Esta lista será atualizada à medida que surgirem novas publicações da Morte ao Plástico. Força nas canetas, humanidade!