Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

12.11.18

Morte ao Plástico #3 - As refeições nos aviões

Rita (porque minimalistas há muitas)

Ou melhor... As refeições com embalagens de uso único nos aviões. 

 

File:Western Vegetarian Airline meal.jpg

 

Faz por estes dias um ano que me juntei ao movimento do minimalismo.

 

Movimento?! - perguntam vocês.

 

Sim, é a minha rebeldia enquanto adulta, o que é que eu hei-de fazer? Vou contra tudo e todos nesta minha busca incessante pela simplicidade e para mostrar quem é que manda em mim e no meu dinheiro. Ja viajei muito de avião mas só depois de me ter educado a sério acerca do impacto do plástico é que comecei a reparar na quantidade enormuda que se usa para tudo.

 

Ora, como "Avião" é a palavra do dia 13 do nosso desafio da escrita, decidi falar um pouco sobre as embalagens que se distribuem pelos aviões - que segundo o Dicionário Online de Português é uma "Máquina voadora, mais pesada que o ar e propelida por um (ou mais de um) motor de explosão, que aciona uma (ou mais de uma) hélice, ou por turbina a gás (nos modelos a jato). A sustentação desses aparelhos depende de asas fixas à fuselagem (alguns tipos mais modernos apresentam asas retráteis)." - sou só eu que leio "plástico" e "faz mal ao planeta" em todas as palavras desta descrição?

 

Quem viaja em classe económica como eu, sabe que há embalagens para tudo em praticamente todas as companhias aéreas. Embalagens para o pão, para o guardanapo de papel, para o talher-que-por-sinal-também-é-de-plástico-e-que-no-primeiro-uso-se-parte-logo, para manteiga-patês (ou patés?!)-e-molhos , para a refeição-como-se-não-bastasse-ainda-vem-com-película-por-cima e para a sobremesa.

 

O copo é de plástico. O tabuleiro é de plástico. As garrafas de água são de plástico.

 

É tudo de plástico.

 

Existe de facto uma solução. Escolher companhias aéreas e trajetórias onde não se sirvam refeições ou que estas sejam tão caras que temos de lá deixar uma perna. 

 

 

 

 

05.11.18

Morte ao Plástico #2

Rita (porque minimalistas há muitas)

Desculpem, acho que na publicação anterior me excedi um bocadinho e deixei algumas coisas por dizer. Acontece que já usei e descartei muito plástico na minha vida, infelizmente. De qualquer forma, mais vale tarde do que nunca e aqui estou eu - a tentar fazer do planeta um sítio mais bonito e a declarar guerra a objetos inanimados. Eu espero que não tenham ficado (muito) escandalizados comigo. 

 

Ao longo das próximas semanas (e enquanto me apetecer) vou colocando aqui alguns comportamentos menos bons da minha parte e abusivos do plástico por três motivos. Primeiro, porque mais tarde quero recordar o meu processo de transformação e adesão ao zero waste. Segundo, porque vos quero mostrar que lá por ter um blog sobre minimalismo, zero waste e vegetarianismo não quer dizer que seja uma pessoa de consciência e ações perfeitas - sou precisamente o contrário, uma mulher do quotidiano normalíssima que tem muito para aprender e muita pedra para partir. Terceiro, porque quero consciencializar o povo para práticas ambientais menos invasivas e quero mostrar-vos que há muitas alternativas ao plástico e que todos os dias podemos melhorar um bocadinho este nosso consumo masoquista.

 

Se por algum motivo se lembrarem de alternativas porreiras a estes meus (ab)usos de plástico, comentem em baixo por favor.  Tenho a dizer que, por ser de uma cidadezinha do interior, não temos por cá tantas opções de venda a granel como no litoral ou nas grandes cidades. Mas mesmo assim, de uma forma ou de outra, ainda vai sendo possível. 

 

Prosseguindo com a minha missão, o plástico que direta ou indiretamente usei hoje, a 05 de Novembro de 2018, foi:

 

- Ao pequeno-almoço:

     - Optei por comer uma banana e um kiwi. Até aqui tudo bem. Não fossem os frutos secos que comi depois, serem embalados em plástico... e ainda na semana passada comprei mais frutos secos embalados. Já tinha ouvido dizer que no Intermarché têm algumas coisas avulso! Parva. Não é supermercado que frequente mas estarei mais atenta.

 

- A meio da manhã, ao lavar as mãos na empresa onde trabalho gastei papel para secar as mãos! Papel que por certo vem embalado em plástico. Tenho secado as mãos nas calças, mas às vezes esqueço-me. Bebi ainda um café, que não sendo embalado em plástico (pelo menos parece-me papel por fora - a da imagem em baixo é de plástico) - vem em saquetas tipo as do chá - que raio de material é este, sabem? É compostável?

Imagem relacionada

- Ao almoço:

       - Por ser vegetariana há coisa de 3 meses, vou fazendo uma misturada de refeições. Já tentei algumas receitas, mas são sempre estas misturas que me fazem feliz, o que é que eu hei-de fazer? Nesta refeição posso falar dos 2/3 de cima - o outro de baixo vem da minha querida sogra  Nos terços de cima, e pelo que me lembro, há cogumelos frescos que vieram embalados, vegetais embalados da secção dos congelados, o arroz é embalado e nos ovos há fatias vegetarianas da Nobre que vieram embaladas em plástico - Coisas que o meu namorido compra para mostrar o seu carinho e apoio na adesão ao vegetarianismo mas esquece-se do plástico. Felizmente os ovos são caseiros e as caixas são reutilizadas - arranjei quem os forneça. À tarde, voltei ao café

2018-11-05 13.18.55.jpg

- Ao fim da tarde em casa - a limpeza da areia dos gatos. Há-de ser com sacos de plástico da secção dos frescos. Desculpem-me, bem sei que é uma atrocidade mas o que é que eu hei-de fazer? Os biodegradáveis não se degradam em aterros, e mesmo em compostagem tenho dúvidas. A areia não é biodegradável - e mesmo que fosse, moro num apartamento e não tenho condições para biodegradar todo o material cá de casa nem consigo convencer o meu namorido a aderir a um sistema de compostagem. Não existe compostagem comunitária por estes lados. Aceitam-se sugestões! 

 

- Ao jantar:

       - Ainda não sei, mas tenho planeado comer uma sopa de feijão embalado em frasco de vidro. Não sei o que leva mais, porque foi o namorido que fez. 

 

Resumindo:

- Uma embalagem de frutos secos;

- Uma embalagem com papel para secar mãos - não é uma excêntricidade??

- 2 cafés em saquetas que nem sequer sei se são recicláveis, o mais certo é não serem;

- Uma embalagem de cogumelos;

- Uma embalagem de vegetais;

- Papel higiénico ao longo do dia, que vem embalado em plástico.

- Uma embalagem de arroz.

- Uma embalagem de fatias vegetarianas à base de clara de ovo, da Nobre;

- Um saco de plástico da secção dos frescos.

 

Agora, multipliquem isto por 2 vezes 365 dias, 12 meses por ano? Tudo em menos de 12 horas. Sim, sei que não gastei os ingredientes todos de uma vez nem os gasto especificamente todos os dias, mas há outros. E são votos de manufactura que fiz algures no mês passado e que todos os dias milhares de pessoas fazem. Não volto a referir qualquer ingrediente que gaste daqui para a frente e que pertença a estas mesmas embalagens. 

 

No entanto, e porque nem tudo é mau:

 

- Não uso maquilhagem há meio ano;

- Uso copo menstrual e escova de dentes de bambu;

- Evito o papel higiénico em casa - uso bidé ou duche;

- Embrulho presentes com jornal ou revistas antigas;

- Comecei hoje mesmo a recolher as saquetas de café no meu trabalho para usar em casa como esfoliante ou adubo em plantas - é menos conteúdo que vai parar ao aterro;

- Uso chávenas ou copos reutilizáveis em casa e no trabalho. Não consumo quando estes não existem.

 

Esta lista será atualizada à medida que surgirem novas publicações da Morte ao Plástico. Força nas canetas, humanidade!

 

 

05.11.18

Morte ao Plástico #1

Rita (porque minimalistas há muitas)

Viva a nova rúbrica!

plastic-3577044_1920.jpg

 

Já falei do plástico em dez publicações neste blog.

 

 

Sabemos que o plástico:

1. Deve ser  o primeiro a ser recusado;

2. Se não for recusado, deve ser reutilizado;

3. Não pode ser depositado no meio ambiente ao deus-dará - Porque o raio do deus-dará não dá nada em troca e as repercussões negativas do plástico ainda não são conhecidas. Seja ele PET, PU, PS, ABS, NYLON, PVC ou  PE - estima-se uma decomposição entre 100 a 2000 anos. Os 100 nunca foram confirmados e os 2000 - o deus dará ou não a quem de direito. 

4. Tem de ser substituído por outras alternativas. Praticamente qualquer peça de plástico neste mundo já tem um substituto. Sejam eles de foro higiénico, educacional, de suporte alimentar, social, económico. E a maior parte delas estão no meu grupo favorito do fb - Zero Waste Portugal.

5. É decomposto em microplásticos sem nunca desaparecer. Compromete a vida e existência de muitas espécies, incluindo a nossa. Recomendo "A Plastic Ocean", um documentário que salvo erro está no youtube - e no netflix. 

6. Faz parte do nosso dia-a-dia e estamos longe de o conseguir eliminar definitivamente nas próximas duas ou três gerações (estou a ser otimista?). Mas também sabemos que qualquer mudança parte de cada um de nós, por mais pequena que seja. É horrível que o plástico seja barato e mais horrível ainda que seja usado sem qualquer preocupação ambiental e sem suscitar qualquer tipo de hesitação na cabeça de grande parte da população.

7. Deve estar sempre nas nossas mentes e devemos sempre tentar encontrar alternativas. Pequenas mudanças como o uso copo menstrual, a compra de produtos em embalagens de vidro em vez de plástico (mesmo que tenha de gastar mais um pouco), sacos de rede na compra de frescos e escova de dentes de bamboo, fazem todo o sentido, não são assim tão caras e poupam-nos mais uma temporada de existência. 

8. Se já se encontra em quantidade enormuda (como diz uma das pequenitas mais fofinhas deste mundo), há que lhe dar o respetivo encaminhamento, nem que seja apanhá-lo do chão.

9. Surgiu no início do século XX (ano de 1901), com desenvolvimento acelerado a partir de 1920. Diga-se há 100 anos. - Como é que em 100 anos surgiram 8,3 mil milhões de toneladas de plástico no planeta [5]?

10. Faz até parte da nossa saúde oral, quanto mais da saúde do planeta?

 

Enfim, já falei um pouco sobre tudo.

 

Mas nem tudo é mau. 

1.PNG

(cliquem na imagem)

 

 E há de facto muito boa gente que declarou guerra ao plástico e que eventualmente há-de conseguir alterar mentalidades. 

Esta publicação vem na sequência do meu desafio da escrita - que por sinal está atrasadíssimo, e este é o meu contributo do dia 10. 

 

Esta é uma nova rúbrica, entre as outras todas que já criei. (Vá, é só mais uma - não se aborreçam) Este blog é meu, estou chateada com o plástico e a partir de agora digo o que me apetecer.

 

Guerra ao plástico!