Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

Rumo ao Minimalismo

A minha viagem ao minimalismo, desperdício zero e vegetarianismo - Estou quase, quase lá!

15.07.19

Quando a produtividade e o minimalismo se encaixam entre as suculentas e o conteúdo digital.

Rita (porque minimalistas há muitas)

Este título não faz muito sentido, pois não? Ora vejam. Às vezes, dou por mim a divagar e a explorar a net como se não houvesse amanhã. Pinterest e Instagram, principalmente. Então, depois de ter deixado a TV e o Netflix, pior ainda.

Ultimamente são as suculentas. Ai que emoção, ver todos aqueles arranjinhos saudáveis de suculentas mini em vasos super fofos. Até decidi ter a minha própria coleção. É uma coleção saudável, não me digam que não. Passo tardes inteiras a tratar delas e acaba por ser uma terapia ao ar livre com direito a absorção de vitamina D.

1.PNG

Quanto às suculentas, está tudo ok. Mas e então, as horas que passo a navegar na net? A dada altura dou pela minha consciência a dizer-me para parar, que não somos "senhoras" de nos perder com conteúdo digital. Afinal de contas, sou minimalista.

Pronto, pronto. 

Há dias encontrei uma publicação sobre produtividade na minha segunda plataforma digital preferida, a Medium. Falava sobre como aumentar a produtividade e diminuir a procrastinação em trabalhos de escritório. Ora, para quem não sabe, eu faço parte de um projeto financiado pela FCT, sou aluna de doutoramento e o meu trabalho está relacionado com investigação na área das energias renováveis. Um doutoramento é sempre uma mais valia. Não pelas oportunidades de carreira em Portugal, mas pela série de epifanias que tenho vindo a descrever até aqui, que de outro jeito não teria lá chegado. Eu sou a prova viva disso.

Mas como sabem, um doutoramento não se faz de epifanias nem de falinhas mansas e nem tudo é um mar de rosas. Também precisa de muita nutrição e concentração durante longos períodos de investigação, e às vezes lutamos muito para que a motivação não venha por aí a baixo. 

Esta publicação dizia que a produtividade aumenta quando tiramos um número razoável de pausas durante o nosso dia de trabalho. No meu caso, trabalhar 25 minutos e tirar uma pausa de 5 revelou-se muito produtivo. Juro-vos que nunca pensei que resultasse. Eu dou por mim completamente concentrada no que estou a fazer porque sei que dali a 25 minutos tenho de tirar uma pausa, e quero "produtivar" e otimizar o meu tempo.

Ora, tirar 5 minutos de 25 em 25 num trabalho diário de 8 horas equivale a 60 minutos de pausa. Mas garanto-vos que este, é o único tempo que vão perder (ou ganhar, dependendo do ponto de vista). Infelizmente, bem sei que nem todas as entidades patronais autorizam este método. Deviam com certeza apostar mais neste tipo de incentivos e não tenho a menor dúvida de que iria resultar.

Nestas pausas podem sempre beber um café, caminhar pelo local de trabalho, "bater um papo" com os vossos colegas de trabalho e beber um copo de água. Para quem não tem colegas, pode sempre abrir um bom livro e ler duas ou três páginas. Nada de conteúdo digital. Trata-se de mimarmos os nossos olhos e corpo. Ora imaginem se em dez ou 11 pausas bebermos um copo de água e caminharmos um pouco? Tem tudo para dar certo. 

Há uns tempos ouvi falar de uma empresa que num período experimental, deu as quartas feiras aos empregados e a produtividade aumentou bastante, só porque eles achavam que não iam ter tempo para fazer tudo o que costumavam fazer.

E da produtividade, vem o minimalismo - que me permite não pensar em mais nada fora do contexto onde me encontro. Se trato das suculentas, não penso no trabalho. Se estou num parque com amigos e família, não penso nas suculentas (ou tento não pensar, vá - Não sou conhecida por ser a dama de ferro, if you know what I mean). E se estou no trabalho, com este método XPTO, não penso em navegar na net sem fundo nem no que vou fazer logo à noite. Porque, lá está, não lhes dou tempo.

Há prioridades e prioridades. A minha não é o multi tasking nem matar-me com 15 horas de trabalho improdutivo. Trata-se de nos mantermos focados e motivados para produzir mais com menos. Trata-se de trabalharmos para nós mesmos e trata-se de nor mantermos sãos. Que de loucura está o mundo cheio, não é mesmo?

 Beijos! 

12.10.18

Desafio da Escrita #6 - Cinema (low cost ou não)

Rita (porque minimalistas há muitas)

Olá malta! 

 

Sim, eu sei.... É dia 12, e não 6. Desculpem do fundo do coração! Vou tentar correr o mais que puder para vos encontrar neste belo desafio. 

 

Resultado de imagem para cinema

 

Já vos tinha dito que ADORO cinema? Quem não gosta que levante o braço! E se gostam MUITO sabem que com o cinema vem o dinheiro... ou a falta dele. Houve uma altura em que ia ao cinema todas as semanas - quando ofereciam um bilhete na compra de outro. Era fantástico. Entretanto o cinema local mudou de dono e a festa acabou . Mas mesmo indo ao cinema todas as semanas por metade do preço.. Ao fim do ano rondava os 150€ em gastos. 

 

E depois da festa ter acabado, o que aconteceu? Os preços foram subindo e subindo. Lembram-se de quando o bilhete de cinema custava 200 escudos? Era eu pequenita mas já ia ao cinema 

 

E é tudo fantástico enquanto recebemos mesada dos papás. Agora raramente vou ao cinema. Nem me lembro da última vez que lá pus os pés. Hunger Games? Canção da estrela? No lo sé. Mas por certo, vi muitos filmes, séries e documentários. Grande parte deles a partir do Netflix e outra parte espalhados pela net.

 

Em baixo vejam a minha lista de últimas visualizações (desde o início do ano, atenção), as quais vou classificar de 1* a 5***** de acordo com o meu gosto pessoal - que analisa fatores como a edição, efeitos especiais, dramatismo, número de lágrimas produzidas, número de risadas e sensação de tempo passado - se demora uma eternidade ou não a acabar.

 

Os últimos filmes que vi foram:

 

Just Wright (2010) *****

Footloose (2011) **

A Terra dos Bons Costumes (2018) **

Agarra-te à vida, Não ao Cabelo (2018) ***

Aguenta-te aos 40! (2012) *****

Surpresas da Vida (2006) **

Book Club (2018) *****

Sierra Burgess is a Loser (2018) *****

A Todos os rapazes que amei (2018) ****

Orgulho e Preconceito (2005) *****

Tal Pai, Tal Filha (2018) ***

 

E as últimas séries (nem todas completas) que vi foram: 

 

Elite (2018) ***** ***** *****!!!!

The World's Most Extraordinary Homes (2017) *****

That 70's Show (1998) ****

Atypical (2017) ***

Ozark (2017) *****

Alias Grace (2017) ***

The Ranch (2016) ***

Gypsy (2017) ****

The Client List (2012) ****

Sobrevivente Designado (2016) *****

Por 13 Razões (2017) *****

Black Mirror (2011) *****

Dear White People (2017) *****

Stranger Things (2016) ***

La Casa de Papel (ÓBVIO) ***** ***** ***** !!!

 

90% destes títulos foram vistos no Netflix e desde que tenho o serviço que não me lembro de ver nada na TV por cabo, para além do The Voice Portugal e do 5 para a meia noite que adoro. Malta, existe muito material na net. Muito mesmo. Basta procurar. Nem todo ele é legal, obviamente, mas todos sabem isto e quase todos o fazem. Quem está tentado a experimentar o Netflix Portugal que o faça porque vale muito a pena. Ou não, para não terem tentação de gastar dinheiro. Há sempre o período experimental de um mês - Sim, é preciso fornecerem os dados do cartão de débito ou crédito, mas saibam que cada utilizador tem uma área pessoal onde pode cancelar o serviço e instantâneamente deixa de poder aceder ao conteúdo e o pagamento é automaticamente cancelado. 

 

Para mim, o Netflix é low cost na medida em que me poupa muito dinheiro em cinema e fico tão ou mais satisfeita. Não tenho qualquer necessidade de pagar 6,5€ para ver um filme. Bem sei que nem todo o conteúdo atual está na plataforma, mas a oferta é tanta e tão mas tão boa que acabo por nem ter vontade de ver algo em específico. Normalmente quem experimenta a sério, acaba por pagar pelo serviço. 

 

E vocês, que andam a ver? Recomendam alguns filmes ou séries?